Quinta, 13 de Maio de 2021 12:22
86 9 99928820
Cidades Água

Sem abastecimento regular de água há 03 meses, moradores do Bairro Casulo não sabem mais a quem recorrer

A vice-governadora Regina Sousa enviou uma caixa d’água que segue em desuso devido a falta da base de sustentação.

30/04/2021 12h23 Atualizada há 2 semanas
Por: Redação

A cidade de Monsenhor Gil tem como um dos maiores desafios o abastecimento de água. Apesar da riqueza hídrica, a população amarga há muito tempo com a irregularidade no abastecimento e com a baixa qualidade da água que chega às residências.

Além dos problemas recorrentes em todo o município, os moradores da Agrovila Paulo Roberto, mais conhecida como Projeto Casulo, região do Bairro Cachoeira, enfrenta há mais de 03 meses uma crise ainda mais severa no abastecimento, depois que o reservatório da região estourou devido a ação do tempo, no último dia 27 de janeiro.

Desde o acontecido, representantes dos moradores daquela comunidade já realizaram uma verdadeira “via crucis” em busca de uma saída para o restabelecimento do abastecimento, que é de responsabilidade da Associação de Moradores, mas que por falta de recursos não pode arcar com o custo da aquisição de um novo reservatório.

Tem Caixa, mas ainda falta água

Fruto de uma das diversas buscas de solução para o problema, no último dia 08 de abril, a vice-governador Regina Sousa enviou ao município uma caixa d’água com capacidade suficiente para atender a região. Contudo, a caixa segue em desuso tendo em vista a falta de uma base de sustentação.

 

Secretaria de Agricultura não sabe quando o problema será resolvido

Por se tratar de Assentamento Agrícola, e ainda pelo fato do departamento de abastecimento do município ser atrelado à Secretaria Municipal de Agricultura, perguntamos ao Secretário de Desenvolvimento Rural, Brenno Brandão, se havia por parte da prefeitura alguma previsão de quando o problema seria resolvido.

Em resposta, o secretário informou que falta material para a construção da base de sustentação da caixa que já se encontra no local, mas que não tem informações de quando isso acontecerá.

Prefeitura contratou quase R$ 800 mil em material de construção, hidráulico e elétrico

Diante da resposta do Secretário, consultamos junto ao Tribunal de Contas do Piauí se havia alguma licitação em andamento para aquisição de material de construção. Na busca encontramos dois contratos em vigência, de acordo com o TCE, com as empresas RAF MATERIAIS DE CONSTRUÇÕES EIRELI, CNPJ 12.358.169/0001-0, no valor de R$ 535.580,00, e A. M.ALVES RODRIGUES EIRELI – ME, CNPJ 09.147.248/0001-54, no valor de R$ 244.586,45, sendo este último fruto de uma Adesão a Ata de Registro de Preços de Pregão Eletrônico realizado pelo município de Nazária do Piauí.

 

Juntos, os dois contratos que somam quase R$ 800 mil reais com vigência até os meses de agosto e setembro, respectivamente, e que foram celebrados com base nas "necessidades das secretarias do município, seguem sem utilidade numa situação emergencial que vem deixando centenas de pessoas sem abastecimento regular de água.

Situação já foi assunto na Câmara de Vereadores

Durante a Sessão Legislativa do último dia 09 de abril, ao apartear o vereador Maylson Santos (PTB) que cobrou soluções para outros problemas no abastecimento de água de várias comunidades, o vereador Éder Carvalho (PSD), lembrou que a situação do Bairro Casulo também merece atenção.

“Faltou acrescentar a Varjota e o assentamento Casulo que há mais de 03 meses sofre com a irregularidade na distribuição de água depois que a caixa d’água estourou em razão do tempo de uso”, comentou o vereador na ocasião.                

 

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.