Terça, 29 de Setembro de 2020 07:00
86 9 99928820
Geral Acesso Negado

Polícia Federal conduz jornalista Tony Trindade por receber informações privilegiadas

Como se sabe, é cerne do jornalista investigar, descobrir por seus próprios meios fatos ocultos e ainda não divulgados.

18/08/2020 08h20 Atualizada há 1 mês
Por: Redação Fonte: Lupa1
Polícia Federal conduz jornalista Tony Trindade por receber informações privilegiadas

A Polícia Federal realizou na manhã desta terça-feira (18) a Operação “Acesso Negado”, onde foram cumpridos cinco mandados de buscas e um de prisão nas cidades de Teresina, União e Monsenhor Gil.

A operação tem como o objetivo apurar o vazamento de informações, segundo a PF, com o objetivo de atrapalhar investigações sobre desvios de recursos do FUNDEB, do município de União. 

O alvo da condução é o jornalista Tony Trindade, apresentador de TV e colunista em jornal da capital. As primeiras informações apontam que Tony teria recebido informações privilegiadas sobre as investigações, conforme preceitua o bom jornalismo investigativo.

A PF ainda não forneceu maiores informações, contudo, conduziu o jornalista, cerceando o seu direito de exercer a profissão de jornalista.

Como se sabe, é cerne do jornalista investigar, descobrir por seus próprios meios fatos ocultos e ainda não divulgados, sendo resguardado a si o direito ao sigilo da fonte, conforme garante a Constituição Federal.

Em 35 anos de jornalismo combativo, essa é a primeira vez que Tony Trindade é alvo de denúncia.

A Assessoria de Imprensa do jornalista emitiu nota à imprensa. Veja:

"NOTA À IMPRENSA

A assessoria de imprensa do jornalista Tony Trindade considera oportuno esclarecer fatos a respeito da Operação “Acesso Negado”, deflagrada nesta terça-feira (18) pela Polícia Federal, em Teresina, Monsenhor Gil e União e que resultou na prisão preventiva do jornalista.

Conforme nota divulgada pela própria PF, a operação investiga “atos ilegais de intervenção/embaraçamento” à investigação de desvios de recursos públicos destinados à educação na cidade de União, cabe ressaltar que na qualidade de apresentador de programa de televisão e colunista de jornal, Tony Trindade ao veicular fatos da operação, apenas fez o seu dever de jornalista e formador de opinião.

O mandado de prisão preventiva a título de frear a divulgação de informação soa descabido e desproporcional, uma vez que o jornalista sequer foi ouvido pela autoridade policial antes da condução.

É temoroso ao exercício profissional, que jornalistas sejam presos por relações com suas fontes, relações essas que são asseguradas pela própria Constituição Federal.

Tony Trindade coloca-se à disposição das autoridades, certo de que atos ilegais não prosperarão com o aval da justiça.

Assessoria de imprensa"

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.