Terça, 26 de Maio de 2020
86 9 99928820
Dólar comercial R$ 5,36 -1.797%
Euro R$ 5,89 -0.776%
Peso Argentino R$ 0,08 -1.752%
Bitcoin R$ 50.129,53 -0.816%
Bovespa 85.476,28 pontos -0.22%
Cidades Paralisação

Carteiros paralisam entregas após colega testar positivo para Covid

Os servidores reclamam que trabalharam ontem a tarde, mesmo depois de afastar o funcionário e a empresa não fez sanitização no local.

19/05/2020 10h00
Por: Redação Fonte: cidadeverde.com

Cerca de 40 funcionários do centro de distribuição domiciliar dos Correios, no bairro Pio XII, na Sul de Teresina, estão resistindo a retornar ao trabalho nesta terça-feira(19), após um dos colaboradores testar positivo para a Covid-19. Ele recebeu o resultado ontem, enquanto trabalhava normalmente. 

Os servidores reclamam que trabalharam ontem a tarde, mesmo depois de afastar o funcionário e a empresa não fez sanitização no local. Além de não cumprir as regras de distanciamento social, disponibilizar álcool em gel e luvas para os colaboradores. 

Eles afirmam ainda que as máscaras só chegaram semana passada. “Nosso medo é ter pego a doença e ainda passar para as pessoas nas ruas, porque nós trabalhamos em todo Centro e Zona Sul entregando as correspondências. Por isso, nós decidimos resistir hoje e não entrar para trabalhar”, afirmou um dos colaboradores, que não quis se identificar. 

No local, são 63 funcionários, mas cerca de 20 já estão afastados por serem do grupo de risco, ou estarem de férias.

A preocupação dos servidores é que no local, o banheiro, o bebedouro, são coletivos e os postos de trabalho são próximos um do outro. “Aqui não tem distanciamento de um metro ou dois, são colados e ontem ele trabalhou normalmente. O ambiente precisava ter passado por uma sanitização ou ter pelo menos nos afastado para fazer o teste, só que nos obrigaram a trabalhar a tarde e vir hoje normalmente”, destacou.

O presidente do Sindicato dos Correios, Edilson Net Rodrigues Santos, fez um protocolo virtual pedindo a realização imediata de testes para os funcionários, processo imediato de quarentena dos trabalhadores e higienização imediata do setor e fechar até realizar todos os procedimentos.  

O próprio manual da empresa afirmou que quando existir qualquer relato e procedimento que tenha testado positivo, era para adotar esses procedimentos, no entanto, o gestor local não liberou o pessoal ontem a tarde e nem hoje pela manhã e somente hoje a tarde disse que ia ser feita a higienização, mas deveria ter afastado o pessoal, feito revezamento de funcionários porque lá está havendo aglomeração e não foi feito. No CDD do Itararé, foi feito isso para manterem o distanciamento, mas lá não”, afirma Edilson Santos, que nesta manhã foi até a sede da empresa para fazer um protocolo presencial de reclamação. 

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.