FC_Serviços_Pop_Up
Convite_Republicanos
Anuncie Aqui
Consultório_Dr_Paulo_Area_Leão_Pop_Up
FC_Serviços_Topo
Armazém Paraíba Monsenhor Gil 970x90
Anuncie Aqui topo
Consultório_Dr_Paulo_Area_Leão 970x90
Cajuína Dona Dia 970x90
Justiça

Prefeito de Amarante-PI, Diego Teixeira, vira réu na Justiça Federal

O Ministério Público Federal pede a suspensão dos direitos políticos.

13/01/2020 10h27
Por: Redação
Fonte: GP1

O juiz Agliberto Gomes Machado, da 3ª Vara Federal da Seção Judiciária do Piauí, recebeu a petição inicial da ação civil de improbidade administrativa ajuizada pelo Ministério Público Federal e tornou réu o prefeito de Amarante, Diego Lamartine Soares Teixeira (Progressistas), acusado de deixar de inserir e atualizar os dados do município junto ao SIOPE - Sistema de Informação sobre Orçamentos Públicos em Educação, correspondente ao exercício de 2016. A decisão é de sexta-feira (10).

Para o juiz, a denúncia ofertada pelo Ministério Público Federal sinaliza a “aparência de improbidade”, evidenciada pelos elementos de prova constantes nos autos, “notadamente o Comunicado FNDE nº 15369/2018, em que o referido Fundo noticia que o Município de Amarante/PI não transmitiu ao SIOPE as informações sobre os investimentos públicos em educação, no tocante ao exercício de 2016”.

Na decisão, o magistrado determina a intimação do prefeito para apresentar contestação, no prazo de 15 dias.

Entenda o caso

Segundo a ação de improbidade administrativa, o gestor deixou de realizar a transmissão das informações sobre investimentos públicos em educação relativos ao exercício de 2016, que deveria ser realizada até 30 de abril de 2017.

O SIOPE é ferramenta fundamental para que o Poder Público, em especial o FNDE, possa acompanhar se a execução orçamentária dos entes federativos na área da educação tem alcançado o percentual mínimo que impõe a Constituição Federal. O sistema informatizado decorre da atribuição imposta por lei ao Ministério da Educação de monitorar a aplicação dos recursos do Fundeb, nos termos do art. 30, inc. V, da Lei n. 11.494/2007.

MPF pede a suspensão dos direitos políticos

O MPF pede a condenação de Diego Teixeira nas penas previstas na Lei de Improbidade Administrativa, no caso, suspensão dos direitos políticos por três anos, pagamento de multa civil e a proibição de contratar com o Poder Público ou receber benefícios ou incentivos fiscais ou creditícios, direta ou indiretamente, ainda que por intermédio de pessoa jurídica da qual seja sócio majoritário.

Nenhumcomentário
500 caracteres restantes.
Seu nome
Cidade e estado
E-mail
Comentar
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Mostrar mais comentários