Quarta, 05 de Agosto de 2020 10:07
86 9 99928820
Geral Obesidade

HGV deve realizar mais de 80 cirurgias bariátricas em 2020

Atualmente, mais de 200 pacientes estão aguardando para realizar o procedimento, contudo, é preciso seguir algumas orientações.

09/01/2020 10h01
Por: Redação Fonte: Portal O Dia

O Hospital Getúlio Vargas (HGV) foi habilitado pelo Ministério da Saúde como unidade de Assistência de Alta Complexidade ao indivíduo com obesidade e passará a receber recursos pelas cirurgias bariátricas realizadas. O hospital já atendia a Linha de Cuidado do Sobrepeso e da Obesidade, mas com recursos estaduais e agora, com o credenciamento, o HGV vai receber subsídio do Sistema Único de Saúde (SUS) pelos procedimentos bariátricos executados.

Segundo o diretor geral do HGV, Gilberto Albuquerque, a expectativa é de que sejam realizados 80 procedimentos somente em 2020, um número superior ao esperado e realizado em anos anteriores, quando a média era de 28 cirurgias bariátricas. Atualmente, mais de 200 pacientes estão aguardando para realizar o procedimento, contudo, é preciso seguir algumas orientações.

“Não é apenas chegar e fazer a cirurgia. Tem paciente com dois anos tentando fazer regime, dieta, conscientização, treinamento para o pós-operatório. Hoje temos cerca de 28 pacientes aptos a realizar o procedimento e mais 200 em processo de habilitação. Com certeza esses pacientes deverão ser atingidos com esse benefício da cirurgia muito em breve”, comenta.

Gilberto Albuquerque destaca que a cirurgia bariátrica é uma cirurgia eletiva e, com as novas regras do Governo Federal para mutirões, ela poderá entrar nesse requisito. Para que o paciente possa realizar o procedimento, é necessário encaminhamento de um especialista.

“Se alguém se sentir obeso, deve procurar uma unidade de saúde, o médico vai examinar e conferir seu Índice de Massa Corporal (IMC). Será emitida uma ficha de encaminhamento para marcar uma consulta, no qual uma equipe multidisciplinar fará uma triagem. O paciente realizará os exames e a consulta com o cirurgião. Uma vez que se enquadra em todos os requisitos, vai para a fila de espera para a cirurgia”, relata o diretor geral do HGV.

Dependendo da condição do paciente, ele é orientado a passar por uma reeducação alimentar antes do procedimento. Alguns necessitam ainda de um trabalho psicológico ou de fisioterapia.

“Em pouco tempo, alguns pacientes já estão aptos a fazer a cirurgia. Não basta somente operar, é preciso fazer o procedimento, o paciente estando em condições que possa manter o peso. Uma vez que concluiu as condições, recebe o laudo se ele está apto a ser operado. O procedimento é mais rápido e agora que estamos habilitados, esperamos que esse ano o número de cirurgias seja maior que em anos anteriores”, disse.

Obesidade

De acordo com Gilberto Albuquerque, diretor do HGV, os índices de obesidade têm aumentado devido a dois fatores: a má alimentação e a não realização de atividade física. Ele comenta ainda que as pessoas estão optando cada vez mais por alimentos industrializados, como fast food, que possuem muitos conservantes e fazem mal ao corpo.

“No Piauí, o número de pessoas obesas ainda não é tão alto, mas a evolução está nos levando a isso. Hoje temos um número de pessoas com sobrepeso ou obesas muito maior do que a média que deveria ser. Apesar de não sermos o Estado com maior número de obesos, estamos caminhando para essa tendência. A alimentação e atividade física precisam estar sempre presente na vida da gente. Com essa industrialização dos alimentos, eles ganham em paladar, mas em saúde são altamente prejudiciais”, frisa Gilberto Albuquerque.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.