Sábado, 08 de Agosto de 2020 03:19
86 9 99928820
Cidades Deu no GP1

MP investiga prefeito Antônio Neto por contratar empresa alvo de operação

Para a investigação a promotora Rita de Cássia destacou o fato da empresa Crescer Consultorias ter sido alvo da operação

03/12/2019 09h10 Atualizada há 8 meses
Por: Redação Fonte: GP1

O Ministério Público do Estado do Piauí, por meio da promotora Rita de Cássia de Carvalho, instaurou um inquérito civil no dia 15 de novembro com o objetivo de investigar supostas irregularidades em procedimento licitatório realizado pela Prefeitura de Lagoa do Piauí, que culminou com a contratação da empresa Crescer Consultorias. A prefeitura é comandada pelo prefeito Antônio Neto.

Para a investigação a promotora Rita de Cássia destacou o fato da empresa Crescer Consultorias ter sido alvo da operação "Dom Casmurro", deflagrada pela Delegacia de Combate à Corrupção e à Lavagem de Dinheiro (DECCOR) que teve em mira o cumprimento de mandados de busca e apreensão referentes a empresas que atuariam no ramo de realização de concursos, com o propósito de fraudá-los.

Segundo a promotora, a operação Dom Casmurro apontou que “cada município acaba por montar seus editais de licitação de forma a sempre direcionar as cláusulas para que saiam vencedoras ou a empresa Instituto Machado de Assis ou a empresa Crescer Consultoria, estas duas administradas pelo mesmo grupo, ambas com sede em Teresina, possuindo os mesmos colaboradores, pois apresentam em alguns certames o mesmo corpo técnico de profissionais".

A Crescer foi contratada pelo prefeito de Lagoa do Piauí, Antônio Neto, para a realização de concurso público onde as inscrições encerraram no dia 28 de novembro. Agora a promotora decidiu investigar a contratação da empresa, pois afirmou que ao analisar o processo licitatório da prefeitura encontrou irregularidades.

“A documentação existente no Inquérito Civil Público, cujo objeto tem por objeto o provimento de cargos efetivos no âmbito do Município de Lagoa do Piauí, fora identificado, através da análise do edital da Tomada de Preços nº 002/2019, voltado a deflagrar o procedimento licitatório hábil a escolha da empresa apta a realização do concurso, que em diversas passagens há normas evidentemente restritivas da competitividade do dito certame público”, afirmou.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.