Éder Carvalho: “Tem alguma coisa errada com o preço do botijão de gás em Monsenhor Gil” FONTE: | publicado em: 5 de novembro de 2018 imprimir

Na sessão legislativa do último sábado (03), o vereador Éder Carvalho (MDB), ocupou a tribuna da Câmara Municipal para questionar o valor cobrado pelo botijão de gás em Monsenhor Gil.

De acordo com o pronunciamento do vereador, na cidade o valor médio do botijão é de R$ 80,00 (oitenta reais), isso se o valor for pago à vista, porque se for a prazo o valor ainda é maior, ao passo em que em cidades vizinhas como Água Branca, Curralinhos, Demerval Lobão, Elesbão Veloso e outras, o valor não passa de R$ 65,00 (sessenta e cinco reais).

“Tem alguma coisa errada na cobrança desse valor aqui em Monsenhor Gil. Em cidades mais distantes da capital como água Branca e Elesbão Veloso o valor é inferior ao que é cobrado aqui. Vamos nos juntar, procurar o Ministério Público, o Procon e solicitar que eles intervenham nisso. Não tá certo esse valor”, disse Éder.

Botijão nas refinarias custará menos de R$ 26,00

A Petrobras informa que os preços do Gás Liquefeito de Petróleo de uso residencial (GLP-P13, ou gás de cozinha) serão reajustados a partir da próxima terça-feira (6/11). O preço de venda, na média nacional, sem tributos, nas refinarias da companhia, será equivalente a R$ 25,07 para envase em botijão de 13 quilos. Com isso, acumulará alta de R$ 0,69, ou 2,8% desde janeiro, quando passou a ter reajustes trimestrais.

De acordo com a metodologia em vigor, a Petrobras havia aplicado, este ano, duas reduções nos preços, em janeiro e abril, e uma elevação, em julho. O novo preço representa um ajuste de +8,5%, ou R$ 1,97 em relação aos R$ 23,10 vigentes desde julho. A desvalorização do real frente ao dólar e as elevações nas cotações internacionais do GLP foram os principais fatores para a alta. A referência continua a ser a média dos preços do propano e butano comercializados no mercado europeu, acrescida da margem de 5%.

O objetivo da metodologia é suavizar os impactos derivados da transferência da volatilidade externa para os preços domésticos. O mecanismo concilia, de um lado, a necessidade de praticar preços para o GLP referenciados no mercado internacional e, de outro, a Resolução 4/2005 do Conselho Nacional de Política Energética que “reconhece como de interesse para a política energética nacional a comercialização, por produtor ou importador, de gás liquefeito de petróleo (GLP), destinado exclusivamente a uso doméstico em recipientes transportáveis de capacidade de até 13kg, a preços diferenciados e inferiores aos praticados para os demais usos ou acondicionados em recipientes de outras capacidades”.

O PROCON

De acordo com Órgão de Defesa do Consumidor, caso as pessoas se deparem com valores acima de R$ 65,00, é preciso denunciar. O telefone para denúncia é o 0800 28 21512 ou 3181-7000. Ligue e denuncie!

 

Da redação,


Print page

Comente

você viu?

publicidade

redes sociais

publicidade