Cepisa descumpre acordo e atrasa obra de ampliação da ponte de acesso ao centro de Monsenhor Gil FONTE: | publicado em: 7 de Março de 2019 imprimir

Concessionária não fez a retirada de postes que ameaçam cair com a chegada das chuvas.

Prestes a completar um ano da assinatura da ordem de serviço pelo governador, a obra de ampliação da ponte de acesso ao centro da cidade de Monsenhor Gil não avança graças ao descumprimento do acordo firmado entre Cepisa Equatorial e a Secretaria de Transportes do Piauí (Setrans), órgão responsável pela execução da Obra.

O acordo firmado entre a Concessionária de energia e a Setrans prevê que a Cepisa deve fazer a retirada dos postes de alta tensão que ficam nas extremidades da ponte que já está com a parte central pronta, mas por pela demora e desinteresse com que a Equatorial vem agindo ainda não foi concluída.

A Cepisa Equatorial vem desidiosamente protelando sua parte no acordo, apesar de todas as exigências terem sido atendidas, inclusive pagamento pelo serviço, a ser compensado na conta de energia da Secretaria de Transportes como se verifica nos ofícios abaixo.

A construtora

Segundo o representante da Construtora responsável pela obra, a Múltipla Engenharia, desde o dia 30 de julho de 2018 a empresa vem solicitando da concessionária, à época Eletrobras, a retirada dos postes que já naquela ocasião ameaçavam cair, para que a obra pudesse ser finalizada. Entretanto, até o momento a Cepisa não atendeu às solicitações.

A prefeitura

Por telefone, o prefeito João Luiz que, apesar de não ser o responsável  direto pela obra, disse ao Tribuna que está fazendo o possível para que a obra que completará um ano da assinatura da ordem de serviço no próximo dia 16 de março seja concluída e entregue a população.

“Estamos fazendo o possível. Já fomos na Setrans, que nos garantiu que arcará com os custos do serviço da Cepisa. Já fomos na Cepisa que exigiu várias coisas, inclusive o pagamento que será arcado pelo Estado, através da Setrans, nos termos que eles exigiram. Já acionamos o Ministério Público. O próprio Ministério Público através do promotor da cidade já oficiou  a Cepisa que não o respondeu ainda. Então, nós estamos correndo atrás, fazendo o possível para que essa obra que, sem dúvidas, é de grande importância para o município e já tem causado muitos transtornos para a população que depende dela seja entregue o quanto antes”, disse João Luiz.

A Setrans

A Secretaria de Transporte do Estado, órgão responsável pela execução aceitou todos os termos impostos pela Cepisa Equatorial para que a remoção dos postes sejam feitas imediatamente. Contudo, apesar do cumprimento das exigências.

A autorização datada de 20 de fevereiro de 2019 prevê o pagamento do serviço em 6 (seis) parcelas, a serem debitadas diretamente na conta de energia do órgão.

A população

A população, maior prejudicada pela demora na obra, aguarda ansiosamente pela entrega da ponte e espera que todas essas medidas tomadas até aqui resultem na conclusão dos serviços de ampliação o quanto antes.

Da redação.


Print page

Comente

você viu?

publicidade

redes sociais

publicidade